• davivalukas

O futuro do trabalho: 4 elementos para se entender o Recruitment Education

Updated: Jun 10

“O essencial, com efeito, na educação, não é a doutrina ensinada, é o despertar”. Ernest Renan, escritor, filósofo, teólogo, filólogo e historiador francês.


O futuro do trabalho


O futuro do trabalho certamente está ligado à educação. Esse pode parecer um clichê que vem sendo utilizado há muitas décadas, mas nunca é tarde para reafirmar tal verdade, já que muitas empresas ainda não entenderam sua aplicação corporativa.


Nesse sentido, Recruitment Education é um processo que consiste em uma inversão da atração de talentos: ao invés de se desgastar em uma busca incerta por profissionais qualificados, a empresa qualifica os futuros profissionais que vão atuar em seu quadro de colaboradores.


Os processos de recrutamento e seleção cada vez mais vêm se baseando na formação do profissional mais adequado às necessidades do negócio. Isso se dá por uma série de motivos, entre eles:

  • Custo-benefício

  • Engajamento

  • Turnover

Custo-benefício: formar o profissional ideal pode ser oneroso em um primeiro momento, mas tem largas vantagens em médio e longo prazos. Além da diminuição de custos (não necessariamente financeiros) com a curva de aprendizagem, o que permite que o profissional atinja a plenitude da performance em menos tempo, podemos citar o aumento da possibilidade de crescimento do profissional dentro da estrutura organizacional, gerando um ciclo virtuoso que tende a se incorporar à cultura da empresa.


Engajamento: não são apenas os aspectos técnicos que tendem a ser contemplados pelo Recruitment Education. Missão, visão, valores, cultura e clima organizacionais, tudo isso também é assimilado pelos talentos que estão inseridos nesse processo, o que contribui para que eles se engajem mais.


Turnover: a rotatividade de profissionais, chamada pelos especialistas em Recursos Humanos de turnover, também tende a ser positivamente impactada pelo Recruitment Education, isto porque os colaboradores envolvidos nesse tipo de ação costumam se sentir mais do que um número em uma planilha de funcionários, mas como partes de uma comunidade com objetivos comuns. E convenhamos, há poucos sentimentos mais fortes do que o de pertencimento.

Por conta disso, eu separei 4 elementos para se entender o Recruitment Educacional. Mas antes disso, vamos falar desse tipo de ação na área de TI.


Code School e o Recruitment Education em TI


O projeto Alpha EdTech, em parceria com diversas empresas do mercado de tecnologia, tem sido pioneira na formação de desenvolvedores qualificados através de um processo de Recruitment Education.


Com isso, essas empresas patrocinam os estudos dos nossos aspirantes, que podem se dedicar integralmente ao aprendizado, absorvendo essa mão de obra a partir de um determinado momento do curso.


Toda empresa parceira do nosso projeto contribui efetivamente para a nova geração de desenvolvedores brasileiros, participa de maneira dinâmica das atividades e tem profissionais altamente qualificados para suas principais vagas em TI, além de ter contato direto com os aspirantes em formação desde o início das aulas.


Além disso, ao viabilizar as bolsas de estudos, as empresas parceiras contribuem direcionando parte do que pagariam de imposto de renda ao projeto.

Empresas parceiras do projeto Alpha EdTech:

  • Stone

  • Cloudwalk

  • DMCard

  • Recrutei

  • VTex

  • Farfetch

  • Vitta

  • Hash

  • Brex

  • Deep ESG

  • Devell

  • Back4Ap

Dito isto, vamos conhecer os 4 elementos para se entender o Recruitment Education.

São eles:

  • Talent Acquisition

  • Lifelong Learning

  • Educação Corporativa

  • Aprendizagem Organizacional

Talent Acquisition


Talent Acquisition é um conceito relativamente novo no trabalho dos profissionais de recrutamento e seleção. Trata-se de um processo praticado por empresas e consultorias de R&S de criação e nutrição de um relacionamento de longo prazo com os talentos que almejam trabalhar naquela organização.


O talent acquisition veio para substituir o recrutamento tradicional, focado apenas no fechamento de vagas específicas e em relações pontuais e de curto prazo.

Confira algumas práticas de talent acquisition:

  • Geração de conteúdo (blog, lives, e-books etc.)

  • Base de talentos (fluxo de nutrição ativo)

  • Social recruiting (LinkedIn e outras redes sociais)

  • Utilização de Hackathons e eventos similares

  • Base de freelancers (relacionamento)

Como você pôde notar, o talent acquisition não é uma atividade isolada, mas uma metodologia de seleção e retenção de talentos.


O Recruitment Education está intimamente ligado a essa tendência.


Lifelong Learning


Lifelong Learning é um conceito que sempre existiu, mas agora ganhou esse nome estiloso por ser uma necessidade fundamental do mercado 4.0 e significa “aprendizado ao longo da vida”.


Não basta a empresa investir em talent acquisition e em recruitment education. É preciso que se crie uma mentalidade de aprendizagem contínua nos candidatos e colaboradores.


Nesse sentido, o lifelong learning está intimamente ligado ao recruitment education no sentido de ser o elemento que vai proporcionar sua sustentabilidade através da contínua renovação de conhecimentos.


Educação Corporativa


A Educação Corporativa, antes conhecida como treinamento e desenvolvimento (T&D), é uma espécie de continuidade do recruitment education, pois enquanto este se refere ao processo de educação do talento que ainda vai integrar o quadro de colaboradores, aquele é o ato de qualificar a mão de obra interna, e pode ser aplicado tanto durante e logo depois do onboarding, quanto ao longo do tempo, a fim de atualizar os conhecimentos dos profissionais, bem como de ensiná-los a utilizar novas ferramentas e novos processos.

Além disso, existem os treinamentos comportamentais, que visam não apenas motivar o time, mas também conduzi-lo a uma via de atitudes mais alinhadas aos propósitos do negócio.


Aprendizagem Organizacional


Aprendizagem Organizacional é um elemento que complementa conceitualmente o anterior, sendo porém mais amplo que ele, podendo ocorrer não apenas em uma sala de treinamento, mas no dia a dia de trabalho.


Geralmente conduzido pelo RH, a aprendizagem organizacional ocorre através de diferentes níveis de ensino. Conheça três deles:

  • Aprendizagem sistêmica

  • Aprendizagem com líderes

  • Aprendizagem cultural

Aprendizagem sistêmica: esse é um sinônimo de aprendizagem por observação, ou seja, através da observância das atividades desempenhadas pelos colegas mais experientes.


Aprendizagem com líderes: aqui, é necessário fazermos um crossover com o tema da liderança. Existem diversos tipos de líderes, e alguns são mais propensos à atividade de ensino que outros.


Daniel Goleman, especialista no assunto, classifica seis estilos de liderança: coercitiva, orientativa, afiliativa, democrática, exemplar e formativa.


As lideranças orientativa, exemplar e formativa são as mais propensas ao ensino.

Aprendizagem cultural: a cultura organizacional é o pilar que sustenta qualquer empresa e também é uma fonte de aprendizagem organizacional.


Em suma, o futuro do trabalho sem dúvida alguma passa diretamente pelo processo descrito no presente artigo. Se você gostou dessas informações, compartilhe com sua rede de contatos.


Até o próximo artigo!

Davi Valukas - Alpha EdTech




8 views0 comments