• davivalukas

Liderança em TI: 5 dicas de sucesso

Liderança em TI é um tema ainda pouco explorado, pois o foco dos criadores de conteúdo da área está voltado às áreas operacionais, como a de desenvolvimento, para citar um exemplo.


Como estamos falando de uma área de atuação que ainda engatinha em nosso país, com uma demanda bem mais robusta do que a mão de obra qualificada, é compreensível que seja assim, mas também é importante falarmos sobre líderes que possam otimizar suas equipes, melhorando o engajamento e as entregas de seus liderados.


Por isso, eu preparei esse artigo para você, que já atua com liderança em TI, ou que é front end, back end, full stack ou qualquer outra área tecnológica, mas pretende subir na carreira pelo viés da gestão.

Liderança em TI
É importante falarmos sobre líderes que possam otimizar suas equipes, melhorando o engajamento e as entregas de seus liderados.

Então siga comigo até o final para entender!


O que é liderança


Liderança é o ato de liderar. Até aqui tudo bem, correto?


Mas é só isso? Claro que não!


Liderança é a arte de comandar pessoas através da influência e da inspiração, indo além da mera força, seja ela física ou institucional (obedecer o chefe, por exemplo). Um bom líder é capaz de moldar positivamente o comportamento de seus liderados, sem que isso seja feito de maneira forçada.


Líder x chefe


A arte de liderar não é o exercício de dar ordens. Enquanto os chefes são aqueles que ordenam que se faça algo, líderes são capazes de convencer seus liderados de que aquela tarefa é importante.


Isso faz com que os resultados sejam muito mais satisfatórios, além de tornar o processo mais orgânico e intuitivo.


Estilos de liderança: Daniel Goleman


Daniel Goleman é um estudioso especialista em liderança e gestão de pessoas nascido nos Estados Unidos da América.


Em seu livro “A inteligência emocional na formação do líder de sucesso”, Goleman delineia seis estilos de liderança. São eles:

  • Líder coercitivo

  • Líder orientativo

  • Líder afiliado

  • Líder democrático

  • Líder exemplar

  • Líder formativo

Segundo o autor, o cenário ideal é aquele em que o líder congrega em si os seis estilos de liderança, sabendo empregar cada um em seu momento adequado, mesmo que haja maior preponderância em um ou dois deles.

Estilos de Liderança
Enquanto os chefes são aqueles que ordenam que se faça algo, líderes são capazes de convencer seus liderados de que aquela tarefa é importante.

Vamos entender cada um dos estilos de liderança de Daniel Goleman?


Líder coercitivo


Também conhecido como líder autocrático, o líder coercitivo é aquele que impõe a sua opinião, sem levar em conta a opinião do grupo.


De maneira geral, esse é um tipo de liderança negativo, mas no cenário ideal delineado por Goleman, há espaço para sua utilização em situações específicas, como em crises organizacionais ou em tempos de baixa entrega da equipe.


Líder orientativo


Líder orientativo é aquele que dá as orientações aos liderados e depois “quer ver o que acontece” de longe.


É importante dar as orientações necessárias, mas nem sempre o “fazer sozinho” vai funcionar logo de cara. Por isso, no cenário ideal de Goleman, esse tipo de liderança exige maturidade dos liderados.


Líder afiliado


Líder afiliado é aquele que gosta de “estar no meio do povo”, como se diz popularmente.


Uma liderança afiliada é muito embasada no relacionamento interpessoal, o que costuma dar bons frutos nos quesitos engajamento e motivação.


Todavia, é preciso ter cuidado para não exagerar na dose e criar uma intimidade que prejudique as relações profissionais. Além disso, como dito anteriormente, em momentos desafiadores esse tipo de liderança é inadequado.


Líder democrático


O líder democrático é o extremo oposto do líder coercitivo, pois ele ouve toda a equipe antes de tomar uma decisão.


Assim como a liderança afiliada, a liderança democrática cria bons vínculos tanto entre os pares como entre líder e liderados.


No cenário ideal de Goleman, a liderança democrática funciona muito bem quando tudo vai bem ou quando as coisas já estão melhorando, mas não se esqueça dos momentos específicos citados anteriormente.


Líder exemplar


O líder exemplar lidera pelo exemplo (eu nem precisaria ter dito isso).


Um líder exemplar é aquele que, antes de cogitar o uso de suas prerrogativas hierárquicas, põe a “mão na massa” e mostra por A + B que aquela ação é necessária.


Líder formativo


O líder formativo é uma espécie de “líder orientativo 2.0”. Digo isto porque, além de dar as orientações (nos moldes de um professor), ele “pega na mão” do liderado e faz junto no início, ou seja, sua instrução é tanto teórica quanto prática.


A liderança formativa é o estilo ideal quando se fala em formar outros líderes, sendo talvez o mais importante deles, junto com a liderança exemplar.


Afinal de contas, o principal pilar da liderança é o desenvolvimento dos liderados.


O líder do futuro

O que é liderança
O principal pilar da liderança é o desenvolvimento dos liderados.

Agora que já falamos sobre liderança de uma forma mais genérica, vamos falar um pouco sobre o líder do futuro.


E que futuro é esse?


Estamos falando do mercado digital, da transformação, da disrupção e das profissões do amanhã, o que logicamente inclui diretamente a liderança em TI.


7 habilidades comportamentais do líder do futuro


Confira 7 habilidades comportamentais do líder do futuro:

  • Proatividade

  • Flexibilidade

  • Pensamento crítico

  • Inteligência interpessoal

  • Autoconhecimento

  • Espírito de equipe

  • Mentalidade de crescimento

Reparou que nenhuma das habilidades tem ligação direta com tecnologia da informação? Isso ocorre, pois estamos falando de soft skills, que são competências socioemocionais. Aqui, as hard skills, que são as competências técnicas, não estão sendo contabilizadas.


Agora que vimos algumas das inúmeras habilidades comportamentais que o líder do futuro precisa ter, vamos às 5 dicas de sucesso à liderança em TI.


Continue comigo, pois estamos na reta final.


Liderança em TI: 5 dicas de sucesso


Confira quais são as 5 dicas de sucesso:

  • Seja flexível

  • Seja democrático

  • Seja inspirador

  • Seja formador

  • Seja decisivo

Liderança em TI
Reparou que nenhuma das habilidades tem ligação direta com tecnologia da informação? Isso ocorre, pois estamos falando de soft skills, que são competências socioemocionais.

Vamos entender cada uma das dicas de sucesso.


Seja flexível


Flexibilidade tem relação com resiliência, que é a capacidade de se recuperar de situações adversas e desafiadoras, como um elástico que retorna ao formato inicial mesmo depois de esticado.


Mas a flexibilidade vai além disso.


Ser flexível significa também estar aberto a eventuais mudanças necessárias. É ter a consciência de que nada está “escrito na pedra”, ou seja, que em determinadas situações haverá a necessidade de abrir mão do planejamento inicial para tomar um novo rumo frente a desafios inesperados.


O líder de TI sabe muito bem que, em muitos casos, é preciso “trocar o pneu com o carro em movimento”, pois estamos falando de um mercado dinâmico, ágil e cheio de situações inusitadas.


Em resumo, o líder não pode se dar ao luxo de perder o equilíbrio diante de seus liderados, pois ele é o sustentáculo emocional do time.


Seja democrático


Nós já falamos sobre liderança democrática quando abordamos os seis estilos de liderança de Daniel Goleman, então vamos apenas reforçar o que já foi dito.


Ser democrático significa ouvir mais do que falar. Livre-se da concepção tradicional de chefia impositiva e fechada em um monólogo e incorpore a nova concepção de liderança propositiva e aberta ao diálogo.


Seja inspirador


Nós também já falamos sobre a liderança exemplar, e ser inspirador é basicamente fazer com que os liderados te vejam como um modelo.


É claro que ninguém é perfeito, e não estamos falando de ser um modelo ideal de vida em um sentido integral, o que seria impossível.


Porém, podemos dizer que a postura de um líder de sucesso beira o impecável.


Seja formador


Como vimos na teoria dos seis estilos de liderança de Daniel Goleman, o líder formativo é um professor que, além de ensinar no âmbito teórico, ensina no âmbito prático também.


Sendo assim, seja um professor, mas não se atenha aos aspectos conceituais das atividades do seu time.


Seja decisivo


Até aqui, ficou claro que o líder do futuro é aberto ao diálogo, é compreensivo e gosta de ensinar. Todavia, isso não significa que a liderança deve se eximir de exercer seu papel de tomador de decisões.


Dessa forma, tenha sempre em mente que a decisão final é sua, independente do que ocorrer no transcurso das atividades, mesmo que sua visão das coisas seja modificada conforme os liderados vão dando suas opiniões.


Para finalizar


E você, o que achou do texto?


Já é líder, pretende ser líder ou conhece alguém nessa situação? Compartilhe esse artigo para que ele possa refletir também.


Até a próxima!


Davi Valukas - Alpha EdTech


22 views0 comments

Recent Posts

See All