• davivalukas

Diversidade racial na TI: 3 exemplos a serem seguidos

Updated: May 16

Introdução


O tema da diversidade e da inclusão social vem ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho.


Empresas de diversos tamanhos e estruturas têm tomado consciência da necessidade da pluralização e da democratização da mão de obra como uma forma de progresso e desenvolvimento socioeconômico.


As assimetrias sociais existem e precisam ser combatidas, ou pelo menos minimizadas, e isso não é função única e exclusiva do poder público.


A iniciativa privada tem um papel altamente relevante nesse cenário, e em um futuro próximo, as organizações que não estiverem atentas ao tema terão sérias dificuldades para continuar no mercado, o que significa que este vai ser um elemento fundamental do employer branding das empresas.


O tema da diversidade racial é tão importante que a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou o período de 2015 a 2024 como a Década Internacional de Afrodescendentes.


Leia esse artigo até o final para entender o atual cenário da diversidade racial na TI.

 

O que é employer branding?


Employer branding, ou marca empregadora, é a forma como determinada empresa é vista pelo mercado, principalmente por aqueles que desejam trabalhar nela ou em seus concorrentes.


Como essa empresa trata seus colaboradores? Como é o clima organizacional? Existe um plano de carreira? Como essa organização trata temas sensíveis, como inclusão social e sustentabilidade ambiental?


Todos esses itens fazem parte do employer branding.


Você conhece o Afrofuturismo?


Antes de falarmos sobre boas experiências mercadológicas de diversidade racial na TI, eu vou te contar sobre um conceito da ficção bastante interessante para introduzirmos o tema.


Se você curte filmes, jogos, séries, livros e HQ’s de ficção científica, já deve ter notado que esse não é um nicho com muitos personagens negros.


Por conta disso, o escritor Mark Dery, um dos principais pensadores da cibercultura, criou, em 1993, o conceito de afrofuturismo, que significa a criação de enredos e roteiros de ficção científica que contam histórias inspiradas nas matrizes africanas, mas sem perder os aspectos tecnológicos tão importantes nesse tipo de literatura.


Apesar do termo ter surgido apenas na década de 90, alguns precursores devem ser lembrados, como o jazzista e filósofo Sun Ra, que dizia ser um alienígena saturniano e, com isso, criou toda uma mitologia sci-fi em torno de sua carreira.


Talvez o principal exemplo atualmente seja o do super herói Pantera Negra, da Marvel, que já era uma série de HQ’s importante nos anos 60, mas foi um divisor de águas no cinema em 2018. Contudo, há diversas outras obras, como Kindred, da escritora Octavia Butler, e O caçador cibernético, do brasileiro Fábio Kabral.


Continue a leitura para saber mais sobre diversidade racial na TI.

 

Empregabilidade e diversidade racial


O índice de desemprego em nosso país tem atingido números estratosféricos há bastante tempo, e atinge brancos, negros, homens, mulheres, jovens e pessoas mais experientes.

Contudo, para que a empregabilidade plena seja atingida, é preciso tratarmos também da diversidade racial, visto que vivemos em um país multirracial, multiétnico e miscigenado.


A disparidade salarial também é um tema a ser discutido. Números do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostram que a diferença salarial entre brancos e negros pode chegar a 70%, dependendo da área de atuação.


Esses dados demonstram como esse assunto é de extrema relevância e atualidade.


Continue comigo até o final!

 

Hackeando a diversidade na área de tecnologia


Christina Dunbar-Hester, professora da USC, Universidade do Sul da Califórnia, escreveu o livro Hacking Diversity - The Politics of Inclusion in Open Technology Culture.

Nesse livro, a autora faz um mapeamento de como está a questão da diversidade, não apenas racial, mas em todos os aspectos, na área de TI.


Segundo ela, “a questão da diversidade na área tecnologia permanece ilusória. Embora a indústria de tecnologia tenha se apresentado há muito tempo como uma meritocracia, é muito fácil encontrar padrões nas diferenças em relação a como os trabalhadores são tratados. Por exemplo, aqui nos Estados Unidos, os empregados negros do Google são mais propensos a terem contratos de curto prazo e com menos segurança no emprego do que os empregados em tempo integral”.


Clique aqui para ler um artigo escrito pela autora do livro a respeito do tema.

 

Diversidade racial na TI: 3 exemplo a serem seguidos


Para ilustrar as boas ações em diversidade racial, eu separei três empresas que possuem boas práticas neste sentido.


São elas:

  • Sodexo

  • Mastercard

  • AT&T

Sodexo


A Sodexo, empresa multinacional francesa do setor de tecnologia para vale-alimentação e gestão de facilidades, possui uma vice-presidência global de diversidade.


Quase metade dos bônus anuais dos gerentes da empresa estão ligados ao tema da diversidade e da inclusão social, e milhares de funcionários em todo o mundo já receberam treinamentos sobre o assunto.


Mastercard


“Você precisa aproveitar a singularidade coletiva daqueles ao seu redor para ampliar seu campo de visão - ver as coisas de forma diferente, falhar mais fortemente, inovar e questionar tudo. Ampliar esse campo de visão significa ampliar sua visão de mundo.” Ajay Banga, CEO da empresa


A empresa de cartões de crédito possui um Escritório de Inclusão e Diversidade Global.


Além disso, a empresa possui um rígido protocolo para admissão de fornecedores, que entre outras coisas, também deve promover a diversidade e a inclusão social.


AT&T


A AT&T, empresa multinacional da área de telecom, conta com uma representação diversificada em todos os níveis organizacionais, desde os níveis operacionais até os executivos sêniores.


A empresa conta com programas voltados à inclusão de mulheres e à diversidade racial (negros, indígenas, asiáticos, latinos etc.).


Randall Stephenson, CEO da AT&T, é bastante engajado no tema, tendo feito um discurso para 1,7 mil pessoas em 2016, considerado um divisor de águas em relação às tensões raciais e ao papel da liderança nesse cenário.


 

Para finalizar


E aí, o que achou de ler sobre diversidade racial na TI? Uma das missões do blog da Alpha EdTech é levar esse tipo de conhecimento ao público geral, fomentando o debate sobre ações afirmativas na área de tecnologia.


Nos vemos no próximo artigo. Até lá!


Davi Valukas - Alpha EdTech

53 views0 comments

Recent Posts

See All