• davivalukas

As 7 competências comportamentais mais exigidas nas Startups brasileiras

Updated: 3 days ago

“Qualquer coisa que deixamos de reforçar acabará por se dissipar”. Tony Robbins

Startups são pequenas empresas que oferecem uma solução tecnológica para determinadas dores do mercado. E por estarem imersas na transformação digital e na cultura ágil, é necessário que os profissionais que atuam nesse nicho mercadológico tenham determinadas habilidades comportamentais específicas.


Por conta disso, nesse artigo eu vou te falar sobre as 7 competências comportamentais mais exigidas nas startups brasileiras.


Vem comigo!

 

As 7 competências comportamentais mais exigidas nas Startups brasileiras


As 7 competências comportamentais mais exigidas nas startups brasileiras são as seguintes:

  • Orientação para resultados

  • Organização e produtividade

  • Inteligência interpessoal

  • Trabalho em equipe

  • Ética e accountability

  • Adaptabilidade e resiliência

  • Criatividade e inovação

Vamos conhecer cada uma delas.

 

Orientação para resultados


“As boas obras não tornam bom o homem, mas o homem bom pratica boas obras”. Martinho Lutero


Por estarem imersas na transformação digital e na cultura ágil, como eu disse acima, as startups precisam de profissionais orientados para resultados. E quais são os indicadores e características para o sujeito entender que ele precisa ser orientado para resultados?


Não é possível que o profissional diga que tem a competência da orientação para resultados se ele não tiver a característica da assertividade.


Não existe um sujeito que não seja assertivo e seja orientado para resultados, pois se ele é orientado para resultados, fatalmente terá assertividade. Ou seja, se precisa ter a competência “orientação para resultado”, precisa ter também a competência da assertividade, que é algo que precisa ser trabalhado para desenvolver a orientação para resultados.


O ritmo de trabalho, nesse caso, é um elemento fundamental. Eu não estou dizendo aqui que ritmo de trabalho seja um sinônimo de rapidez ou pressa. Eu estou dizendo que você deve fazer as coisas dentro da velocidade e da frequência exigidas pela necessidade da demanda que você está executando.


Se a demanda na qual você está atuando é mais analítica ou mais operacional, é preciso modular o ritmo de trabalho de acordo com a necessidade. A capacidade de modular o ritmo de trabalho de acordo com a necessidade mostra que você tem a competência da orientação para resultados.


Startups trabalham com métricas e avaliação constante da performance, e a orientação para resultados é um fator chave para que o profissional esteja alinhado com esses dois quesitos.


 

Organização e produtividade


“Nenhum homem realmente produtivo pensa como se estivesse escrevendo uma dissertação”. Albert Einstein


Organização e produtividade são elementos fundamentais e indissociáveis.


As startups, por conta da agilidade que eu já frisei algumas vezes durante o presente texto, exigem que o profissional tenha um padrão de organização que propicie uma produtividade em níveis elevados.


Startups não costumam atuar da mesma forma que empresas tradicionais quando se trata de controlar a rotina de seus colaboradores pois, como eu disse no tópico anterior, esse profissional deve ser orientado para resultados, sem tanta preocupação em relação à forma como isso é feito.


Por isso, algo que pode te ajudar é o estudo de alguns métodos de organização que podem te trazer mais produtividade.


Um método é um caminho que você segue, um conjunto de dicas que são coerentes entre si.


A necessidade da organização para trazer mais produtividade acaba gerando uma ânsia no profissional, que contraditoriamente pode prejudicar o seu desempenho. Por conta disso, é fundamental ter um método para se organizar.



Conheça 3 métodos de organização que podem te ajudar com isso:

  • GTD

  • Fly Lady

  • Pomodoro

GTD: essa sigla significa Getting Things Done (fazer as coisas, em português), que consiste em empregar 5 verbos em todas as atividades da vida: coletar, processar, organizar, revisar e executar.


Fly Lady: sistema de rotinas e lembretes que tem o intuito de diminuir o tempo gasto em cada demanda. O método propõe a criação de pequenas atitudes diárias que vão impactar sua rotina em longo prazo.


Pomodoro: consiste em criar blocos de atividades, intercalados por alguns minutos de descanso. Esse método incentiva o foco e a concentração, e a divisão de tempo considerada ideal é de meia hora cada bloco, com 25 minutos de atividade focada e 5 minutos de descanso.

 

Inteligência interpessoal


“Civilização é, antes de mais nada, vontade de convivência”. José Ortega y Gasset


Se você convive com pessoas difíceis em seu dia a dia, sabe como é complicado quando não se tem inteligência interpessoal.


É preciso que o profissional que atua em startups estabeleça avanços constantes em suas habilidades de relacionamento, melhorando a sua capacidade de motivar pessoas, de unir equipes e de estabelecer harmonia no ambiente profissional, mesmo que a equipe trabalhe remotamente e só se reúna em ambiente virtual.


Lidar com pessoas é uma arte muito valorizada nas startups, pois elas têm plena consciência de que o valor de uma empresa está no capital humano.


Se existe cooperação entre as pessoas envolvidas na organização para um objetivo comum, isso destaca a empresa em relação à concorrência.



Inteligência interpessoal é algo que não é necessariamente inato, ou seja, não precisa nascer com a pessoa. Ela pode ser desenvolvida com o aprendizado de técnicas e muito treinamento.


Quando se desenvolve a inteligência interpessoal, tudo fica muito mais fácil, pois se aprende a ter a postura adequada diante dos diferentes perfis comportamentais existentes dentro de uma mesma equipe.


Fazer parte de um grupo de pessoas pode ser uma tarefa desafiadora, mas com inteligência interpessoal, esse desafio pode se tornar até prazeroso.

 

Trabalho em equipe


“A força do time está em cada um de seus participantes, a força de cada participante é o time”. Phil Jackson


O trabalho em equipe é uma espécie de continuação do tópico anterior, o da inteligência interpessoal.


Se uma equipe possui pessoas com inteligência interpessoal, sem dúvida o trabalho em equipe será facilitado.



O trabalho em equipe também pode ser visto como um complemento da orientação para resultados. Isso significa abrir mão do ego e das vaidades e focar no que realmente importa, dividindo tanto os esforços quanto os louros da vitória com todos os colegas.


Trabalho em equipe, em suma, é o que leva uma empresa ao sucesso duradouro, e com as startups não poderia ser diferente.

 

Ética e accountability


“A ação, de fato, é o único meio de expressão para a ética”. Laura Jane Addams


Accountability é um termo que significa literalmente fiscalização e controle.


Contudo, se empregado ao mercado em geral e às startups em específico, accountability é uma cultura em que as pessoas pegam para si a responsabilidade de tomar decisões que afetem o ambiente em que estão inseridas.


Nesse sentido, accountability está diretamente ligado à questão ética e sugere que o profissional que possui essa competência é proativo na prestação de contas de suas atividades, sejam elas quais forem.



Sendo assim, outro fator que está diretamente ligado a esse tópico é o da transparência. Note como ética, accountability, proatividade e transparência formam uma espécie de círculo virtuoso.


Se você deseja trabalhar em uma startup (ou abrir uma) deve estar atento a isso também.

 

Adaptabilidade e resiliência


“Resiliência não é o que acontece com você. É como você reage, responde e se recupera do que acontece com você”. Jeffrey Gitomer


Startups, via de regra, não possuem um organograma rígido de atividades.


É claro que todos têm uma função definida, mas não é tão incomum que se tenha que colocar a mão na massa em atividades paralelas que surgem no meio do caminho.


Isso não significa que não haja organização e liderança nas startups, mas que por conta da estrutura enxuta que a maioria delas costuma ter, todos devem mostrar uma capacidade de adaptação.


Além disso, é necessário que se tenha a resiliência necessária para superar micro fracassos sem comprometer macro sucessos.

 

Criatividade e inovação


“Muitas vezes, as soluções mais interessantes e inovadoras vêm do fato de você ter percebido como sua concepção do problema estava errada”. Eric Raymond


Por fim, mas não menos importante, temos a capacidade de criar e inovar.


A cultura ágil preconiza que cada atividade deve ser encarada em sua individualidade, sem métodos fixos de lidar com todos os problemas que surgem.


Isso significa que é necessário que se tenha a competência para criar soluções inovadoras quando novos problemas aparecerem e as soluções tradicionais não estiverem cumprindo seu papel.


Ser criativo e inovador não significa reinventar a roda todos os dias, mas saber consertar a roda toda vez que ela entortar.

E por falar em startups e soluções tecnológicas, o conceito de disrupção, muito presente na concepção de apps como os de mobilidade urbana, de entrega de comida e de streaming, por exemplo é exatamente esse: não se trata de criar algo “do nada”, mas de pegar um conceito que já existe e dar uma nova roupagem a ele.


A Uber não inventou o transporte urbano, a Netflix não inventou os vídeos em streaming e o Ifood não inventou a entrega de alimentos. O que essas empresas fizeram foi criar uma nova forma de se executar tais atividades, uma solução tecnológica para algo já existente.


E aí, gostou do texto? Fique ligado em nossas próximas publicações!


Um abraço.

Davi Valukas - Alpha EdTech

84 views0 comments