• davivalukas

7 Passos para a Educação do Futuro: 3 princípios e 4 metodologias

Updated: 3 days ago

“O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele”. Immanuel Kant


Há décadas nós ouvimos que a Educação pode mudar o futuro do nosso país. Mais que isso, somente ela pode fazer isso.


Depois de tantos anos ouvindo isso sem vermos um resultado real, muitos de nós podem acreditar que esse é um clichê vazio, mas não é.


Com o advento e a democratização do acesso à tecnologia da informação, a descentralização inerente a esse processo trouxe a possibilidade de as pessoas se qualificarem a partir de um app, de uma plataforma de streaming ou de uma faculdade EaD que tem sua sede administrativa a milhares de quilômetros de distância.


Foi pensando nisso que eu escrevi o artigo 7 passos para a Educação do futuro: 3 princípios e 4 metodologias.


Nele, vamos conhecer 3 princípios que vão ajudar os estudantes no processo de conquista da própria autonomia nos estudos.


Além disso, vamos conhecer 4 metodologias que estarão cada vez mais em evidência daqui para frente.


Vamos lá?

 

3 princípios


Os 3 princípios que vão ajudar os estudantes no processo de conquista da própria autonomia nos estudos são os seguintes:

  • Criatividade

  • Proatividade

  • Colaboratividade

Conheça cada um deles.


Criatividade


A criatividade é um elemento fundamental desde que o mundo é mundo.


Sem ela, o ser humano sequer teria sobrevivido aos seus dias iniciais no mundo, quando nossos ancestrais precisaram dela para sobreviver às feras selvagens, para criar as primeiras armas de caça, para aprender a manipular o fogo etc.


Muitos acreditam que a criatividade está restrita às atividades artísticas e de criação em geral, como publicidade e design industrial, para citar alguns casos.


Contudo, a criatividade é uma ferramenta que auxilia o ser humano em praticamente todas as atividades do dia a dia. Em muitas delas, a falta de criatividade não significa o final da linha, mas sem dúvida tudo fica mais fácil quando se é criativo.


Ser criativo significa também ser curioso, o que é natural nas crianças. Porém, o processo de socialização acaba por inibir a curiosidade e, consequentemente, a criatividade.


O filósofo e escritor Bernard Shaw dizia que “as pessoas que vencem neste mundo são as que procuram as circunstâncias de que precisam e, quando não as encontram, as criam”, o que demonstra a necessidade da criatividade em todas as áreas da vida.


Proatividade


Ser proativo significa ter iniciativa, ou seja, não esperar passivamente as coisas acontecerem, mas ir atrás do que se deseja.


Nas ferramentas tecnológicas de educação, isso significa que o aluno deve buscar por si os conhecimentos e informações necessários, o que por sua vez não quer dizer que o professor deva ser sumariamente descartado.


Ter proatividade na educação, em outras palavras, significa utilizar as ferramentas de busca e pesquisa à disposição na internet, como uma espécie de garimpeiro do conhecimento.


Colaboratividade


Pode parecer um contrassenso falar em colaboratividade em um processo que enfatiza a autonomia do sujeito a todo momento. Contudo, não se trata disso.


Colaborar pode significar várias coisas ao mesmo tempo. Confira algumas delas:

  • Participar de fóruns educacionais temáticos

  • Participar de grupos de estudos (online ou presencialmente)

  • Trocar conteúdos que sejam relevantes em blogs e plataformas

Em suma, a colaboratividade não exclui a autonomia, e vice-versa.


 

4 metodologias


Agora que você já viu os 3 princípios que podem te ajudar na educação tecnológica, vamos abordar 4 metodologias de ensino que tendem a ser os carros-chefes do sistema educacional daqui para frente.


São elas:

  • Lifelong Learning

  • Educação à Distância

  • Gamification

  • Movimento Maker

Quando eu falo em metodologia, não leve o termo tão ao pé da letra, pois estou falando em abordagens e conceitos amplos.


Dito isto, conheça cada uma das 4 metodologias.


Lifelong Learning


O termo lifelong learning significa educação continuada e quer dizer, trocando em miúdos, um processo educacional que não tem prazo para terminar.


O lifelong learning é considerado um elemento primordial para a manutenção da própria empregabilidade, pois foi-se o tempo em que o sujeito podia se dar ao luxo de terminar a graduação, conseguir um emprego em sua área de atuação e nunca mais voltar aos estudos, dependendo exclusivamente da vivência diária, pois o mercado muda diariamente, e o que eu aprendi na faculdade pode ficar obsoleto antes mesmo da minha colação de grau.


O lifelong learning, portanto, está diretamente ligado ao binômio educação-tecnologia.


Educação à Distância


O chamado EaD é um mecanismo que possibilita ao aluno cursar uma graduação, pós-graduação ou mesmo um curso livre de maneira digital, sem estar presencialmente numa sala de aula, apesar de haver uma modalidade híbrida comumente chamada de semipresencial, em que o aluno vai algumas vezes por semana ou por mês à sede física da escola para ter aulas presenciais ou realizar avaliações e apresentar seminários.



A educação EaD vem sendo muito utilizada na educação corporativa, através não apenas do e-learning, mas também do mobile learning, método de aprendizagem pelo celular.


Gamification


O gamification (ou gamificação) é uma metodologia que se utiliza de jogos em geral no processo educacional. Se você já utilizou o app Duolingo para aprender um idioma, sabe do que eu estou falando.


Além disso, muitas empresas têm utilizado técnicas de gamificação como forma de atrair leads qualificados. Em outras palavras, é uma maneira de engajar pessoas de uma maneira lúdica.


Oferecer recompensas dentro de um jogo em troca da inscrição em um feed de notícias, por exemplo, é uma forma de gamificação.



Movimento Maker


O Movimento Maker é uma metodologia ativa de aprendizagem baseada no conceito punk “do it yourself” (faça você mesmo).


Para que isso funcione, os alunos são estimulados através da prática de exercícios baseados em tentativa e erro. Dessa forma, desenvolve-se profundamente a habilidade da resolução de problemas.


Além disso, a chamada cultura maker faz com que o aluno se transforme no protagonista do seu próprio aprendizado.


Confira alguns aprendizados envolvidos na cultura maker:

  • Criatividade (lembra dela nos 3 princípios?)

  • Pensamento crítico

  • Trabalho em equipe

  • Comprometimento

  • Responsabilidade

Para finalizar


O que achou dos 7 passos para a Educação do futuro? Você está preparado para esse novo cenário?


Fique ligado em nossos próximos artigos. Um abraço!


Davi Valukas - Alpha EdTech


84 views2 comments