• davivalukas

5 dicas para mandar bem no inglês em processos seletivos

Para mandar bem em um processo seletivo na área de TI, conhecimentos em língua inglesa são de suma importância.


Com o trabalho remoto, muitas empresas americanas e europeias de tecnologia têm contratado desenvolvedores brasileiros para atuar em seus quadros de colaboradores. Dessa forma, o idioma profissional número desses devs passa a ser o inglês.


Por isso, se você é desenvolvedor e gostaria de ter uma oportunidade desse tipo, precisa investir no inglês, e mesmo que não tenha recursos para isso, pode começar a estudar com uma versão gratuita do Duolingo ou outro app de idiomas. Só não vale ficar parado.


The book is on the table? Depois de responder a essa pergunta inútil, leia o artigo que eu preparei sobre dicas para mandar bem no inglês em processos seletivos.


Processo seletivo e Business english


Ser fluente em qualquer idioma é a capacidade de comunicar-se através dele de forma corrente.


A fluência, dessa maneira, depende de uma série de fatores que vão além das aulas teóricas, como conversação recorrente com nativos da língua, consumo de conteúdo audiovisual e textual naquele idioma, fazer um intercâmbio em um país que fale o idioma, dentre outros fatores.


Contudo, não se desespere. Ser fluente em inglês não é obrigatório, apesar de ser uma baita alavanca de apoio.

É importante primeiro desenvolver um inglês mais técnico, que te ajude a mergulhar de cabeça no universo de TI, com os jargões e macetes da área inclusos. Isso significa que estamos falando de uma curva de aprendizado e de um grau de investimento bem mais curtos.


Dito isto, vamos conhecer as 5 dicas para mandar bem no inglês em um processo seletivo.

Let’s go?


Processo seletivo: 5 dicas para mandar bem no inglês


Das 5 dicas para mandar bem no inglês que eu separei, quatro delas ocorrem durante o período de preparação, enquanto uma ocorre somente depois.


E durante, my friend?


Durante uma entrevista ou prova escrita em inglês, o mais importante é manter a calma e o equilíbrio. Certa vez, eu vi o lutador Vitor Belfort dizendo que nos treinamentos ele dedicava 90% no físico e 10% no mental, enquanto na hora da luta, essa regra se invertia: 10% no físico e 90% no mental.


Portanto, não existem técnicas e metodologias exatas para o “durante”.


Dessa maneira, as 4 primeiras dicas dizem respeito ao processo de preparação, enquanto a última é um feedback interno, formando um ciclo virtuoso de preparação e aprimoramento contínuos.


Veja quais são as 5 dicas para mandar bem no inglês:

  • Ler em inglês

  • Treinar a pronúncia

  • Aprender vocabulário da área

  • Evitar decoreba

  • Fazer autoavaliação

Vamos entender cada uma delas? Continue comigo até o final!


Ler em inglês


A primeira dica é um tanto óbvia, mas muita gente acaba deixando de lado.


Certa vez, o saudoso poeta Ferreira Gullar disse que, para aprender a escrever corretamente, era melhor se dedicar a boas leituras do que passar horas estudando gramática.


É evidente que o estudo da gramática é importante, mas é apenas a ponta do iceberg (outra palavra em inglês, hein). Por isso, procure ler em inglês.

Matérias em jornais e revistas (principalmente aquelas de sua área de atuação), livros, filmes legendados (em um nível mais avançado, filmes sem legenda falados em inglês), enfim, tudo o que você puder consumir.


Treinar a pronúncia


A segunda dica é mais voltada para entrevistas. Pode parecer bobagem, mas treinar a pronúncia (não o sotaque, que fique bem claro) é fundamental, pois não basta falar frases em inglês, é preciso que elas soem de forma clara para o interlocutor.


Aqui, filmes, séries e músicas ajudam bastante e são uma forma lúdica de aprimorar sua pronúncia. Outro fator importante é falar em voz alta, pois nossa voz interna é diferente da nossa voz real.


Nesse caso, se você tiver com quem conversar, é uma ótima opção, mas caso não tenha, não tenha vergonha de treinar na frente do espelho.


Aprender vocabulário da área


Como eu disse no tópico em que falamos do English Business, é importante desenvolver o jargão da área, ou seja, aprender os termos que são usados internamente, bem como sua correta utilização.


O universo das startups fornece uma boa maneira de aprender a empregar termos técnicos em inglês.


Evitar decoreba


Decorar não é de todo ruim e tem sua serventia quando estamos iniciando um determinado aprendizado.


Decorar verbos e a tabuada na infância, por exemplo, são ótimas formas de aprender, respectivamente, sintaxe e multiplicação, mesmo que você ache isso chato.

Todavia, a função da decoreba termina aí. Em um processo seletivo, vale mais a capacidade de raciocínio e sua habilidade de se comunicar de forma adequada do que saber algumas frases decor e salteadas.


Aqui, terminam as dicas do período preparatório. A próxima e última dica diz respeito, conforme eu adiantei mais atrás, ao período pós-processo.


Continue comigo, pois já estamos na reta final, my dear reader.


Fazer autoavaliação


Não espere o resultado do processo seletivo para fazer uma autoavaliação fria e honesta.


Sabe aquela sensação de que você foi muito bem, ou de que foi muito mal? Apesar de ser enganosa algumas vezes, ela é o primeiro norte para você se autoavaliar.


Outro ponto importante é sempre visar o aprimoramento. O que pode ser melhorado para um hipotético processo seletivo futuro? O que você errou dessa vez que pode acertar na próxima?


Aqui, voltamos a falar sobre superação e estoicismo (clique aqui para ler meu artigo anterior, que fala sobre isso). Se você for reprovado por conta do inglês, get up and try again!


Para encerrar


E você, o que achou do artigo? Te ajudou de alguma forma? Se sim, compartilhe com seus contatos!


Um abraço e até o próximo artigo!


Davi Valukas - Alpha EdTech


21 views0 comments