• davivalukas

5 benefícios de se formar o profissional dentro de casa

Updated: 3 days ago

Introdução


Calma, esse não é mais um artigo sobre home office.


Quando eu falo em “formar o profissional dentro de casa”, estou falando das vantagens de se desenvolver o time, ao invés de sempre buscar soluções externas para os pontos de oportunidade que vão aparecendo no dia a dia do negócio.


Na área de recrutamento e seleção, as modalidades mais comuns são as seguintes:

  • Recrutamento interno

  • Recrutamento externo

  • Recrutamento híbrido

  • Recrutamento às cegas

Note que o recrutamento interno é a primeira modalidade apresentada. Isso se dá pelo fato de que, além de ser mais barato para o negócio, buscar o capital humano de que se precisa “dentro de casa” é uma forma de se construir uma cultura organizacional forte, que vai gerar um senso de pertencimento a um objetivo comum, o que por sua vez torna o time mais engajado na busca de tais objetivos.


É claro que essa afirmação pode parecer um tanto romântica, mas isso ocorre simplesmente porque muitas empresas ainda não estão maduras o suficiente para entender a nova lógica do mercado, e acabam tratando o tema “gestão de pessoas” como DP ou RH, ou seja, áreas de papelada, admissão, pagamento e demissão, sem levar em conta o papel que a organização possui no fomento das relações interpessoais saudáveis.


Por conta disso, antes de falar dos 5 benefícios de se formar o profissional dentro de casa, vamos falar um pouco sobre o que é plano de carreira e benefícios.


Vem comigo?

 

O que é plano de carreira e benefícios


Toda empresa que deseja construir uma forte relação com seus colaboradores, se ainda não colocou em prática, já está pensando seriamente em criar um plano de carreira e benefícios.


Um plano de carreira e benefícios não é simplesmente dizer quanto o colaborador vai receber no quinto dia útil, mas sim um plano de crescimento baseado em premissas bem definidas.


Benefícios, por sua vez, podem ir muito além de plano de saúde, vale-transporte e vale-alimentação. Na área de TI, por exemplo, benefícios mais inusitados, como assinatura de plataformas de streaming, parceria com academias de ginástica e flexibilidade nos horários de trabalho são alguns tipos de benefícios que enchem os olhos de todo desenvolvedor.


Outro impacto positivo profundo de um plano de carreira e benefícios está no employer branding, também conhecido em português como marca empregadora. Trata-se de como o mercado, e principalmente os talentos que podem vir a trabalhar na organização um dia, veem a imagem da empresa.


Aqui, voltamos ao tema dos recrutamentos interno e externo. Eu estou dizendo desde o início desse texto que é bom formar profissionais dentro de casa, mas em certas situações é bom ir ao mercado para oxigenar a equipe, e com uma marca empregadora bem estabelecida, é possível manter a mesma qualidade daqueles que já estão engajados do lado de dentro.


Dito isto, vamos então analisar os 5 benefícios de se formar o profissional dentro de casa. Continue a leitura até o final!

 

5 benefícios de se formar o profissional dentro de casa


Existem diversos benefícios, mas eu separei 5 deles para você conhecer. São os seguintes:

  • Cultura organizacional

  • Clima organizacional

  • Turnover

  • Engajamento

  • Marca Empregadora

Vamos conhecer cada um deles? Então vem comigo.

  • Cultura organizacional: cultura organizacional diz respeito a tudo o que ocorre no ambiente de trabalho, bem como tudo que está atrelado a um determinado negócio. É importante salientar que a cultura organizacional jamais pode ser desatrelada da cultura mais ampla, ou seja, dos costumes, práticas, crenças e hábitos do entorno social no qual a empresa está inserida. É claro que hoje, com a globalização, a transformação digital e outros elementos diretamente ligados à IV Revolução Industrial, que relativizou as fronteiras geográficas e possibilitou o trabalho remoto, para citar apenas um exemplo, falar em cultura organizacional também requer um novo olhar. Contudo, não podemos perder de vista que, mesmo com todo o avanço tecnológico, tudo é sobre pessoas, e não há conjunto de pessoas que não seja regido por princípios culturais. Pois bem, com a formação do profissional dentro de casa, temos o fortalecimento da cultura organizacional, através do pertencimento a objetivos comuns, como foi dito no início do artigo. Isto significa, em outras palavras, amalgamar os objetivos individuais do colaborador aos objetivos corporativos da organização. Esse alinhamento pode promover uma verdadeira e profunda mudança na forma como as pessoas se relacionam com o trabalho e com os colegas.


  • Clima organizacional: essa questão das relações interpessoais nos leva ao segundo benefício, que é o do clima organizacional. Aqui, estamos falando da atmosfera de trabalho. Como as pessoas se relacionam entre pares e com seus respectivos líderes? Há tensão e autoritarismo “no ar”, ou as relações são mais informais? Aqui, é evidente que existem diferentes gradações. Todo extremo deve ser evitado, ou seja, um ambiente totalmente formal e dominado pelo medo é tão corrosivo quanto um ambiente anárquico, em que não há o mínimo de formalidades. As palavras hierarquia, disciplina e liberdade ganharam conotações distintas de seu significado original e se transformaram em gatilhos que, muitas vezes, remetem a significados completamente equivocados. Mas em suma, esse clima organizacional equilibrado é bastante fomentado quando a empresa forma o profissional dentro de casa.


  • Turnover: turnover é a famosa rotatividade. Existem áreas em que há naturalmente mais ou menos turnover, como telemarketing e construção civil, com altíssimo índice, e o funcionalismo público, com baixíssimo índice. Aqui, imagine que estamos falando de um turnover equilibrado para a realidade do negócio, independente de qual seja ele. Na área de TI, o turnover muitas vezes atinge altos índices por conta do mercado sempre aquecido, aliado ao fato de que temos um gargalo em relação à mão de obra qualificada.


  • Engajamento: esse benefício está ligado a todos os outros anteriores, mas é o mais individualizado de todos. Isso ocorre pelo fato de que o engajamento é algo muito subjetivo, bem como os fatores motivacionais. É impossível motivar duas pessoas com as mesmas e idênticas ofertas. Aqui, convém um olhar bem focado em análise comportamental, visto que esse tipo de prática traz uma visão panorâmica dos comportamentos previstos para cada um dos indivíduos envolvidos na organização.


  • Marca Empregadora: voltamos aqui a um ponto já abordado lá no início do presente texto. Eu deixei esse benefício para o final, pois como eu disse, o principal benefício de uma marca empregadora forte está na busca dos melhores talentos do mercado, e como estamos falando em formação das bases e recrutamento interno, esse ponto passa a ser relevante em um segundo momento.

Porém, é inegável que uma marca empregadora forte é imprescindível em um mundo globalizado, tecnológico e competitivo. Por isso, quando a empresa aposta na formação “dentro de casa”, está apostando também na força de sua marca perante a sociedade.

 

E aí, gostou do artigo? Espero que sim!


Compartilhe em suas redes sociais e profissionais para que mais pessoas tenham acesso aos conhecimentos sobre esse tema tão importante.


Nos vemos no próximo artigo!


Davi Valukas - Alpha EdTech


28 views0 comments